Pedagoga lista brincadeiras para crianças que estão em casa durante a quarentena




Blog Cultura Inglesa

 

Em meio à crise da pan­demia do novo coronavírus (covid-19) e o aumento de sus­peitas e casos confirmados em todo o país, a melhor forma de se proteger é o isolamento. Pensando nisso, a pedagoga Patrícia Costa listou diversas brincadeiras para fazer com as crianças durante a quarentena.

 

“O importante nesse mo­mento é usar a criatividade e propor atividades que as crian­ças participem em todas as eta­pas, principalmente na confec­ção dos materiais”, afirmou.

 

Entre elas estão: produ­ção de massinha de modelar caseira, boliche com garrafas pet, circuito com fita crepe, além daquelas brincadeiras tradicionais e mais conheci­das como a amarelinha, pu­lar corda, dança das cadeiras, bambolês, entre outras.

 

Para algumas destas brin­cadeiras, Patrícia explica como elas podem ser feitas. No caso da massinha de modelar, o modo de preparo é com quatro xícaras de sal de cozinha, qua­tro xícaras de farinha de trigo, duas colheres de óleo, uma xí­cara e meia de água e corantes alimentícios para dar cor.

 

Em relação ao circuito com fita crepe, a pedagoga ressalta que a ideia é andar pelo cami­nho feito com a fita crepe, mas sem pisar fora da linha.

 

“A gente ainda pode mon­tar um circuito pela parede de um corredor. A ideia é atravessar sem encostar em nenhuma fita. Vale passar por cima, por baixo e se arrastan­do”, explicou.

 

Tecnologia
Como as tecnologias estão presentes na vida de todos nós e das crianças também, Patrícia acredita que usá-las como possibilidades de en­tretenimento e desenvolvi­mento é importante.

 

“Há diferentes perfis no Instagram de contadoras de histórias que vem realizando divertidos momentos de con­tações de histórias para ajudar a preencher o tempo das crian­ças”, comentou a pedagoga.

 

Frente ao isolamento so­cial que se faz necessário nes­se momento, ela ressalta que nosso olhar para as crianças é de extrema importância, pois necessitam de atividades que contribuam com seu desen­volvimento integral e com seu bem estar psíquico.

 

Segundo Patrícia, cabe aos adultos responsáveis pelas crianças propor atividades sig­nificativas e instigantes nesse período em casa.

 

Fonte: Jornal Tribuna Ribeirão Preto